Escândalo: Delegado que investiga Adélio, trabalhou para o PT

Rodrigo Morais Fernandes, o delegado responsável pelo inquérito de Adélio Bispo, comunista que tentou assassinar Bolsonaro, trabalhou para o governo PT e recebeu estranhos benefícios de Fernando Pimentel.

Na carreira do delegado constam:

  • chefiou por dois anos a Assessoria de Integração das Inteligências da Secretaria de defesa Social (Segurança Pública) do governo Fernando Pimentel do PT;
  • foi por alguns meses diretor de Inteligência da Secretaria Extraordinária para Grandes Eventos, criada no governo Dilma;
  • foi condecorado por Pimentel com a Medalha Alferes Tiradentes;
  • entrou para a PF em 2002 (início do governo Lula);
  • foi chefe do Setor de Inteligência da PF em São Paulo;
  • foi chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente e Patrimônio Histórico de Minas Gerais;
  • foi advogado da Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais.

Hoje ele é delegado regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF em MG.

Rodrigo é formado em Direito pela Faculdade Milton Campos, tem pós-graduação em Direito Público pela Gama Filho e outra pós em Inteligência de Estado e de Segurança Pública pela Universidade Newton Paiva.

Quanto aos estranhos benefícios que recebeu, dois anos atrás ele virou alvo da imprensa: foi enviado por Pimentel para assistir ao Super Bowl, na Califórnia (EUA). O governo alegou que Fernandes coordenava em Minas Gerais a comissão das Olimpíadas Rio-2016.

Fontes: O Antagonista e Site Terça-Livre
https://www.oantagonista.com/brasil/delegado-que-comanda-inquerito-de-adelio-foi-assessor-de-pimentel/
https://www.tercalivre.com.br/bomba-delegado-do-inquerito-de-adelio-trabalhou-para-governo-pt/


 

Leia também