Um atentado contra a democracia

Os opositores de Bolsonaro invadiram as redes sociais, logo após o atentado contra o candidato do povo e destilaram seus ódios esquerdopatas: Que ele teve o que merecia, quem planta ódio colhe ódio, que a liberação das armas tem como consequência um atentado…

Só que esses esquerdopatas esquecem de dizer é que os 47 policiais militares que escoltavam Jair Messias Bolsonaro e os 21 agentes da Polícia Federal, todos armados até os dentes, não fuzilaram e não exterminaram o postulante a assassino que tentou tirar a vida de Bolsonaro.

Eles agiram rigorosamente dentro da Lei, que é a defesa intransigente de Bolsonaro: O seu algoz foi preso, teve a vida preservada bem como sua saúde e levado para a superintendência da Polícia Federal.

A facada que atingiu o candidato Jair Messias Bolsonaro, na realidade, foi um atentado contra a democracia e contra todos os brasileiros que desejam o bem dessa nação, foi uma tentativa de homicídio e deve ser apurada com extremo rigor, pois um ex-militante do Psol não é um ‘lobo solitário’ e por trás dessa tentativa de homicídio tem outras ‘nuances’ que merecem serem investigadas, não podemos ser ‘inocentes’ para acharmos que foi uma atitude isolada de um ‘desequilibrado’, pois ao ser preso ele gritava: ‘Olhem o meu Facebook e vocês entenderão o que eu fiz…’ Como se fosse um discurso ensaiado à exaustão.

Léo Vilhena
Comentarista Político

Recomendadas para Você

%d blogueiros gostam disto: