O obscuro estupro cometido por Cristiano Ronaldo

Antes de mais nada, deixa eu te esclarecer duas situações logo de saída: A minha função na REDE GNI, além de ser o Editor de Política, é ser Analista – Comentarista de Política e de assuntos gerais, todas as vezes que a direção da empresa solicita os meus serviços. Sou funcionário, recebo e cumpro ordens.

A função de um Analista é aquele que, na imprensa escrita e/ou falada, se especializa em determinados assuntos (econômicos, políticos etc.) e faz comentários acerca do desenrolar dos acontecimentos relativos a essas áreas. Ele se posiciona e expõe as suas opiniões, que podem ser aceitas (ou não) e endossadas (ou não) pelo público daquela determinada mídia.

E nesse ínterim, fui chamado para analisar o obscuro estupro cometido por Cristiano Ronaldo, o midiático e famoso CR7, conhecido mundialmente. E por que eu digo que foi obscuro estupro e por que eu não citei o ‘possível estupro‘? Fui categórico, por que para mim, em minha modesta opinião, o Estupro está configurado e explicarei a seguir:

As notícias que estão borbulhando na imprensa espanhola, americana e italiana dão conta que documentos secretos foram vazados para a imprensa, e um deles é assustador: O jornal britânico “The Sun” teve acesso aos documentos legais e informou, que CR7 teria admitido para sua própria equipe jurídica (advogados) que a mulher disse “não” e “pare” durante o sexo, de acordo com documentos judiciais.

“A papelada legal afirma que o atacante da Juventus disse a uma equipe de “consertadores” – conhecidos como especialistas em proteção pessoal de reputação – que ela disse “não” durante “relações sexuais”. A equipe havia anteriormente submetido perguntas escritas a CR7 perguntando a ele exatamente o que aconteceu entre ele e Mayorga“, conta o jornal.

E para jogar a pá de cal em cima de seu próprio túmulo, CR7 teria autorizado o pagamento de U$ 375 mil dólares (cerca de R$ 1,5 milhões de reais) para que a atriz e modelo Kathryn Mayorga não divulgasse o caso em público.

Vamos colocar a massa cinzenta para raciocinar: Se ele é inocente, por que paga o silêncio de quem o acusa?

Só paga o silêncio (ou digamos, compra o silêncio) quem é culpado e quer escapar de pesadas consequências de seus atos nefastos e prejudiciais a imagem, carreira e bolso, pois os seus principais patrocinadores já estão falando em cancelar seus contratos milionários, o que faria CR7 perder cerca de 5 Bilhões de Reais.

Que o famoso CR7 é o astro mundial do futebol atual, é inegável e indiscutível, é a marca e o rosto mais conhecido do planeta, mas isso não o autoriza a sair cometendo crimes (estupros) por aí, muito pelo contrário, ele deve dar o exemplo para milhões de seguidores que o idolatram e veneram.

O CASO

A história foi revelada em março deste ano, mas voltou à tona na última sexta-feira, quando a revista alemã “Der Spiegel” conseguiu falar com a mulher, que revelou detalhes do episódio.

Em 2009, Cristiano Ronaldo, então uma estrela em ascensão, trocou o Manchester United pelo Real Madrid. Empolgado com a transferência para o time dos galáticos, ele foi com amigos para a cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos. Os festejos, no entanto, terminaram com uma denúncia de estupro contra o jogador. O caso foi encerrado com um acordo. CR7 aceitou pagar 375 mil dólares para que a vítima não levasse o caso a público. Nesta sexta, no entanto, a revista alemã Der Spiegel conseguiu falar com a mulher, que revelou detalhes do episódio.

Kathryn Mayorga, que é atualmente professora, conheceu Cristiano Ronaldo no dia do estupro. Ela diz ter repetido por várias vezes as palavras “não” e “para”. Segundo ela, no entanto, o atacante só parou quando terminou o sexo anal forçado. Neste momento, de joelhos, ele procurou se justificar a ela: “Sou um cara 99% legal. Exceto por 1%”.

De acordo com a “Der Spiegel”, o advogado de Kathryn entrou com ação para questionar a validade do acordo firmado entre ela e CR7. A própria afirma que só o aceitou por temer por sua vida e a de seus familiares.

DER SPIEGEL

@DerSPIEGEL

Quando o caso de estupro veio à tona, no ano passado, Cristiano Ronaldo se defendeu. O hoje atacante da Juventus afirmou que o sexo entre eles fora consensual. Pelas redes sociais, o atacante da Juventus procurou negar todas as acusações, apelidando-as de “fake news” (notícias falsas).

“O que foi publicado é uma ‘fake news’, eles querem se promover usando meu nome. É normal, eles querem se tornar famosos com o meu nome, é parte do meu trabalho, mas eu sou um homem feliz e está tudo bem”, afirmou, tranquilamente, em seu perfil no Instagram.

Polícia reabre o caso

Face às acusações, a polícia de Las Vegas resolveu por reabrir o caso. As acusações em causa foram publicadas pelo jornal alemão “Der Spiegel” em abril de 2017, sendo que a publicação recuperou a história na semana passada.

Isso levou à reabertura da investigação, que se baseia também numa nova denúncia por parte da norte-americana, hoje com 34 anos. Mayorga havia aceitado um acordo extrajudicial em 2010, no valor de US$ 375 mil (cerca de R$ 1,5 milhão na cotação atual) , para retirar todas as acusações. Agora, a ação quer anular este acordo.

Além da revista “Der Spiegel”, a rede de TV “CNN” também detalhou em reportagem no fim de semana o processo que Kathryn Mayorga moveu contra Cristiano Ronaldo na última sexta-feira. Mayorga afirma que o português a abusou em um hotel enquanto ela gritava “não”. Segundo a CNN, CR7 se desculpou “dizendo que sentia muito e que geralmente era um cavalheiro”

Léo Vilhena | Rede GNI
Jornalista


 

Recomendadas para Você

Rede GNI

Informação com seriedade

%d blogueiros gostam disto: