O antipetismo vai decidir a campanha

Um dos melhores analistas do mercado financeiro, que encomenda pesquisas diárias, aposta no crescimento do antipetismo na reta final da campanha.

Esse antipetismo está embutido no voto envergonhado e deve resultar numa boa vantagem de Jair Bolsonaro no segundo turno, se ele for capaz de limitar os erros.

Ele compara a disputa entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad àquela entre Jânio Quadros e FHC para a prefeitura de São Paulo, em 1985.

O Antagonista