Neymar é arrogante, prepotente e mimado

Não tenho nada contra o atacante Neymar, mas por ser uma figura pública, ele poderia dar melhores exemplos para a juventude de sua geração.

Há tempos que o noticiário tem sido frequente ressaltando as ‘atitudes’ de Neymar, e digamos num tom mais polído, tem sido atitudes arrogantes e prepotentes, características de um menino mimado, de uma criança malcriada.

Não sei se é a fruto do sucesso precoce, do caminhão de dinheiro em sua conta bancária ou se é questão de caráter. Ou pode ser tudo isso junto. Mas a verdade é que ele tem se envolvido em várias polêmicas que o tornam num monstro. Vamos lembrar essa história e de algumas polêmicas:

Em 2010, enquanto coleciona boas jogadas e golaços, Neymar também já acumulava polêmicas e desafetos. Entre confusões em campo e até na internet, o atacante do Santos – naquela época – bateu o pé para a ordem do técnico Dorival Júnior, que mandou Marcel cobrar o pênalti, na vitória sobre o Atlético-GO, por 4 a 2. Neymar teria ofendido o técnico. Acompanhando tudo de perto, o técnico do rival, Renê Simões, lamentou as atitudes do jovem, pediu encarecidamente que ele seja educado e disse que “um monstro” está sendo criado.

– Estou extremamente decepcionado. Estou desde garoto no futebol e poucas vezes vi alguém tão mal-educado desportivamente. Sempre trabalhei com jovens e nunca vi nada assim. Está na hora de alguém educar esse rapaz (Neymar), ou vamos criar um monstro. Estamos criando um monstro no futebol brasileiro.

Isso foi dito em 2010, há exatos 7 anos atrás, quando Neymar ainda não tinha toda essa fama e dinheiro, e já era arrogante, prepotente e mimado.

No Barcelona, se meteu em várias confusões e não estava ‘feliz’ na equipe blaugrana pois era ‘obrigado’ a dividir os holofotes com Lionel Messi, o melhor do mundo. Ele queria ser o centro das atenções, por isso foi embora da Espanha.

Trocou de ares e desembarcou em Paris, e logo em sua chegada criou confusão com o astro da equipe, Cavani e ontem (21) discutiu com o técnico Unai Emery, pois não aceitou uma determinação do comandante do PSG. Vale lembrar, que assim que chegou no PSG, em seu terceiro treino com bola, Neymar quase chegou as vias de fato com um companheiro, por que Neymar não gostou de uma entrada. Gritou, xingou, chutou a bola para longe e abandonou o treino, indo embora para casa sem dar satisfações ao técnico e nem aos companheiros de elenco.

E vamos voltar um pouco no tempo: quando o Brasil conquistou a inédita medalha de ouro nas Olimpíadas em 2016, assim que converteu o último pênalti que deu ao país uma de suas maiores conquistas, ao invés de sair para comemorar, Neymar foi até a arquibancada para xingar e chamar para a porrada, um torcedor que exigiu que ele jogasse com mais empenho, pois até aquele momento Neymar estava se arrastando em campo.

Existem relatados de diversos jogadores, que Neymar em campo, com a mão na boca para dificultar a leitura labial, diz que é milionário e ganha mais do que certos adversários, numa tentativa de intimidação e humilhação, para desestabilizar os jogadores menos afortunados.

Geralmente quando é expulso, Neymar deixa o campo debochando e ironizando o árbitro.

Temos que respeitar o ‘profeta’ Renê Simões: estamos criando um monstro.

Léo Vilhena
Editor da Rede GNI
Jornalista e Comentarista

Sugeridas para você

%d blogueiros gostam disto: