Marquinhos Trad sofre prejuízo político com aumento da taxa

A cobrança da taxa de lixo deste ano que deveria ser um dos símbolos de “justiça social” acabou sendo a medida mais impopular da administração do prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD). A população tem utilizado todas as ferramentas disponíveis para descontar a insatisfação do aumento da tarifa. O prejuízo na vida política do chefe do Executivo e dos vereadores que aprovaram o projeto de lei podem ser desastrosos.

Alguns parlamentares têm recebido mensagens até mesmo dos familiares revoltados pelo voto a favor da matéria. A repercussão também é explicitamente negativa nas páginas das redes sociais. Há eleitores que usam palavra de baixo calão para expressar os sentimentos que a tarifa do lixo causou em suas vidas financeiras.

Ainda em férias com a família, Trad pode retornar ao seu gabinete com a imagem denegrida e receber apelidos da população como “Marcaxa”. A situação foi a mesma com a prefeita de São Paulo entre 2001 e 2004, Marta Suplicy (MDB). A atual senadora ganhou de seus opositores o apelido de “Martaxa” devido ao aumento de impostos durante sua gestão.

Há deputados estaduais que acreditam que o próprio relacionamento entre Executivo e Legislativo Municipal podem ser afetados pela medida e acabar com o clima de paz e amor vivido neste primeiro ano de mandato.

“Os vereadores que entrei em contato para conversar reclamaram muito que a regulamentação foi totalmente diferente daquilo que votaram. Isso deve atrapalhar a relação da Câmara com o prefeito”, disse o deputado estadual Herculano Borges (SD).