Laudo final diz que projétil que atingiu perna de Maria Eduarda foi disparado por cabo da PM

O laudo final do confronto balístico entre as armas dos policiais militares e suspeitos envolvidos no confronto em Acari, já está na Divisão de Homicídios. A GloboNews apurou que o projétil retirado da coxa da estudante Maria Eduarda, de 13 anos, foi disparado pela arma que estava com o cabo Fábio de Barros Dias.

Os quatro fragmentos retirados da cabeça da menina, que causaram sua morte, não puderam ser identificados porque eram muito pequenos.

A arma é um fuzil belga modelo fal, calibre 7.62, numeração 123764. O laudo foi finalizado nesta sexta-feira (7), foram examinados dois fuzis dos PMs e um ak47 que estava com um suspeito morto.

Os PMs continuam presos e foram indiciados por homicídio qualificado na execução dos suspeitos.