Itália: Trem descarrila deixando mortos e 100 feridos

Um trem descarrilou nas proximidades de Milão, na Itália, nesta quinta-feira, deixando pelo menos quatro mortos e cerca de 100 feridos, sendo que dez pessoas encontram-se em estado grave, de acordo com a imprensa italiana. O acidente ocorreu pouco antes das 7h (4h no horário de Brasília) entre as estações de Treviglio e Pioltello, segundo a mídia local. O trem seguia a cerca de 100 quilômetros por hora na linha que ligava as cidades de Milão e Cremona, no Norte do país. Ainda não se sabe oficialmente a causa do descarrilamento, mas acredita-se que os vagões da embarcação se separaram ao passarem por um trecho de troca de pistas.

A empresa estatal Ferrovie dello Stato afirmou em um comunicado que o trem regional, operado por Trenord, descarrilou na estação Pioltello Limito, a cerca de 40 quilômetros de Milão. Durante alguns minutos, sumiu dos radares dos controladores ferroviários. Um hospital da cidade de Monza suspendeu as operações normais para atender os feridos do acidente em Pioltello, e as operações de socorro contam com a ajuda de quatro helicópteros.

Além disso, atuam bombeiros, policiais, enfermeiros, médicos e socorristas na estação onde estão os destroços do trem. Segundo o jornal “La Repubblica”, os bombeiros tiveram que abrir as paredes dos vagões, como se fossem feitas de lata, para retirar quem estava dentro. Há várias pessoas ainda presas entre os trens, que estavam lotados, com centenas de passageiros, uma vez que a região e o horário em que aconteceu o acidente são de alta movimentação no sistema ferroviário. A maioria era de trabalhadores e estudantes, que dirigiam-se ao centro de Milão, a próxima parada em que o trem pararia antes de sair dos trilhos.

As vítimas sentiram uma vibração fortíssima por cerca de quatro minutos logo antes do descarrilamento, como se a embarcação estivesse se deslocando sobre pedras. Embora a motivação do acidente não esteja clara, há relatos de que os problemas começaram quando o trem trocou de pista e, na hora da mudança, os dois primeiros vagões seguiram em frente, e os outros três que vieram atrás perderam o controle, desconectando as duas partes.

Uma mão relatou ao “Corriere della Sera” que a sua filha, claramente assustada, teve tempo de telefonar para lhe pedir ajuda na hora do acidente.

— Mamãe, socorro! O trem está descarrilando! — foi tudo o que disse a jovem, que, depois disso, parou de atender o telefone.

Uma investigação já está em curso para determinar oficialmente o que aconteceu e, segundo a imprensa local, o condutor do trem já está sendo interrogado. Este é o maior acidente de trem já registrado na Lombardia, e o mais grave em toda a Itália desde julho de 2016, quando outro episódio semelhante deixou 23 mortos no sul do país.

Devido ao descarrilamento do trem regional 10452, o serviço de trens foi suspenso na região. Milão é um dos maiores e mais importantes centros urbanos da Itália. Os trens da Trenitalia também foram interrompidos, de acordo com a Rede Ferroviária Italiana. Na Lombardia, região onde aconteceu o acidente, a previsão é que alguns trens cheguem a atrasar até quatro horas.

Pelas redes sociais, a Trenord, que operava o trem que descarrilou, emitiu um comunicado, atribuindo a responsabilidade a “um inconveniente técnico próximo à estação de Pioltello, que exige uma intervenção das autoridades competentes”. O posicionamento da companhia, no entanto, foi considerado burocrático demais pelos internautas para uma tragédia desta magnitude.

No Twitter, diversos italianos lamentaram o acidente e criticaram a posição da companhia. O serviço de trens na Itália é um frequente alvo de críticas entre os passageiros por atrasos e más condições dos vagões.

“Inconveniente…tenham pelo menos um mínimo de respeito! O serviço que vocês oferecem já não é dos melhores, e depois vocês definem como ‘um inconveniente técnico’ uma tragédia com vítimas. Péssimos!”, escreveu um internauta.

Related Post