Grêmio vence Lanús por 2×1 e é campeão da Libertadores de 2017

Tente ativar o seu wi-fi. Tente o 4G. Tente fazer uma ligação. Tente enviar um SMS. Nada vai funcionar. É possível até que você não consiga ler este texto. Porque o Grêmio acabou com o planeta. Para continuar a seguir estas linhas, pegue um foguete supersônico e vá para Marte. Com gols extraterrestres de Fernandinho e Luan ainda no primeiro tempo, o Tricolor fez o que prometeu, entrou no campo de La Fortaleza em cima do adversário na noite desta quarta-feira, no segundo jogo da final da Libertadores, e venceu o Lanús por 2 a 1. Sand descontou de pênalti. Mas foi pouco. Soy loco por tri, América! O Grêmio é campeão da América pela terceira vez em sua história.

O Grêmio agora concentra todas as forças no Mundial de Clubes. Assim como o Real Madrid, entra direto na semifinal. O adversário será o vencedor do duelo entre Pachuca, do México, e Wydad Casablanca, do Marrocos. A partida está marcada para o dia 12 de dezembro, às 15h (horário de Brasília). Antes disso, no domingo, encerra sua participação no Brasileirão com time reserva contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte, às 17h.

Sem dois zagueiros titulares, Renato Gaúcho e Jorge Almirón mantiveram o que se esperava e escalaram Bressan e Herrera, respectivamente. Logo nos primeiros movimentos, as equipes deram jus à final de Libertadores. Em um strike no meio de campo, Jaílson, Barrios e Herrera já ficaram no chão. Aos cinco minutos, Guerreño fez falta forte em Ramiro e recebeu o primeiro cartão amarelo do jogo.

O Grêmio fez o que prometeu e foi para cima do Lanús. Aos oito, após boa troca de passes, Fernandinho recebeu na esquerda e chutou cruzado para defesa de Andrada. No minuto seguinte, Silva passou por três adversários e finalizou para Grohe segurar firme. Aos 14, Arthur fez belo lançamento para Ramiro dentro da área, ele ajeitou de cabeça, e Barrios mandou torto, longe do gol.

O Tricolor seguiu dominando a partida e conseguiu calar a torcida granate. Aos 25, porém, Edílson pegou Acosta por trás e também levou amarelo. Mas o lance que era de ataque para os donos da casa virou gol dos visitantes. No levantamento para a área, Grohe afastou de soco e Gómez, na intermediária, errou passe. Fernandinho roubou a bola e disparou em velocidade, sem ser incomodado. Ao adentrar a área, soltou a bomba, inalcançável para Andrada.

No lance seguinte, Maxi Velázquez cobrou falta no ângulo, e Grohe saltou para espalmar. Em novo contra-ataque rápido, Edílson recebeu na meia direita e bateu forte em direção à área. Arthur apareceu para desviar, e a bola passou sobre o gol. Aos 38, Martínez assustou em uma bomba de fora da área que passou à esquerda de Grohe.

Aos 41, Luan colocou abaixo os muros de La Fortaleza. Ele recebeu passe de Jailson no meio de campo, correu pela esquerda, puxou para o meio e deixou dois marcadores na saudade. À frente de Andrada, mostrou que nem parecia uma final. Com frieza digna de craques, deu um leve toque sobre o arqueiro e ampliou a vantagem. O primeiro tempo acabou em 3 a 0 para os tricolores, com o gol marcado na Arena somado no placar total.

Após o apito final, os gremistas ainda tiveram um momento de preocupação. Arthur se jogou no gramado com dores no tornozelo esquerdo e foi atendido ali mesmo pelos médicos. Ele até retornou normalmente do intervalo, mas aguentou apenas cinco minutos. Michel entrou em seu lugar. Sentado no banco de reservas, enquanto recebia os “primeiros socorros”, o jovem chorava copiosamente.

O Grêmio recuou, à espera que o Lanús se atirasse ao ataque. E os argentinos assim o fizeram. Aos 10, Bressan bloqueou chute de Acosta, mas Sand ficou com a bola limpa dentro da área. O chute de canhota acertou a rede pelo lado de fora. A resposta veio em cabeçada de Barrios sobre o gol após cruzamento de Edílson.

Desesperado pelo resultado, Jorge Almirón trocou o zagueiro Herrera pelo atacante Moreno. Aos 24, veio o susto. Jailson agarrou Acosta dentro da área e derrubou-o: pênalti. Sand deslocou Grohe e diminuiu. O Lanús ganhou confiança e, aos 29, Marcone arriscou com uma bomba de longe e mandou sobre o gol. Aos 33, Cícero, que substituiu Barrios, viu Andrada adiantado e tentou mandar por cobertura. Errou longe. E levou Renato à loucura.

A vida tricolor ficou ainda mais dramática com a expulsão de Ramiro. O volante recebeu amarelo em discussão com Marcone, seguiu reclamando, e o árbitro Enrique Cáceres lhe mostrou o vermelho. Aos 44, Luan recebeu de Fernandinho na cara do gol e tocou novamente por cima. Desta vez, para fora. Mesmo com um a menos, o Grêmio suportou a pressão e conduziu a partida até o apito final. Grite torcedor! O Tricolor é tricampeão da Libertadores da América!

Sugeridas para você

%d blogueiros gostam disto: