Como lidar com o terror noturno e o bruxismo das crianças?

Meu filho se mexe muito, às vezes acorda chorando. Como posso fazer para que ele tenha uma boa noite?
Thais Matano, mãe de Matheus, 5 anos

Muitas crianças se movimentam bastante enquanto dormem. É na infância que as parassonias (distúrbios de sono normalmente com fundo genético, como terror noturno, despertar confusional e bruxismo) são mais comuns. Elas tendem a passar com o tempo. É importante saber que, quanto mais cansada a criança for dormir, maior será a intensidade desses episódios. Por isso, comece o ritual de sono mais cedo, para que seu filho esteja dormindo, efetivamente, em um horário adequado. O sono agitado não necessariamente significa que ele não esteja descansando, mas é importante ficar atento ao comportamento e desenvolvimento dele durante o dia.

Terror noturno e pesadelo, embora parecidos, são coisas diferentes. O primeiro é considerado um transtorno do despertar. A criança que o apresenta geralmente se senta na cama no meio da noite, grita, chora, pronuncia frases sem nexo e os batimentos cardíacos e a respiração aceleram. Ela não está consciente e não se lembra de nada ao acordar. Caso isso aconteça com seu filho, o ideal é tentar acalmá-lo sem despertar. De acordo com uma estatística do Instituto Brasileiro do Sono, 3% das crianças apresentam o quadro, sendo mais frequente entre 5 e 7 anos. No caso dos pesadelos, preste atenção se ele não assistiu a nada que o tenha assustado, se não ouviu alguma história na escola ou mesmo em casa que possa ter causado medo. Também vale investigar se ele está passando por alguma situação difícil. O melhor remédio é a conversa e o acolhimento.

Você já deve ter ouvido o pediatra falar sobre a importância de criar um ritual do sono. Mas o que isso significa, na prática? Ele pode variar de uma família para outra, porém, é importante uma rotina (ambiente tranquilo, banho, música ou história na cama) para que o organismo da criança entenda que chegou a hora de dormir. No livro Nodding Off, The Science of Sleep from Cradle to Grave, a autora, Alice Gregory, faz algumas sugestões, como destacamos aqui.

1 – Esqueça o agito antes de dormir!

2 – Nada de brincadeiras em cima da cama, música animada ou papo até altas horas.

3 – Preste atenção ao que a criança come e bebe à noite.

4 – Evite alimentos pesados, que têm digestão mais demorada, e bebidas com cafeína.

5 – Nada de eletrônicos!

6 – Permitir que seu filho tenha uma televisão no quarto pode até agradá-lo, mas assistir à TV antes de dormir e adormecer enquanto ela está ligada piora – e muito! – sua qualidade de sono.

7 – Hora de brincar lá fora

8 – Estimule seu filho a fazer exercícios e atividades ao ar livre durante o dia – pode acreditar, isso favorece seu descanso durante a noite.

Fontes consultadas: Jofre Cabral, pediatra e neonatologista do Grupo Perinatal (RJ); Leticia Soster, neuropediatra e especialista em sono do Hospital Israelita Albert Einstein (SP); Luiz Renato Valério, intensivista pediátrico do Hospital Pequeno Príncipe (PR); Maria Inês Nantes, pediatra do Hospital da Criança (SP); Nilton Cesar, pediatra do Hospital e Maternidade Brasil, de Santo André (SP); Patrícia Salgado, médica do sono do Hospital Márcio Cunha (MG); Thiago Gara, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz unidades Anália Franco e São Caetano (SP).

CRESCER | Globo