A verdade sobre ‘The Poughkeepsie Tapes’ o filme de terror mais assustador

The Poughkeepsie Tapes conta a história de um serial killer que aterrorizou a cidade de Poughkeepsie, interior de Nova York. Tudo começa quando agentes do FBI encontram fitas das vítimas do “carniceiro do rio” (como o serial killer era conhecido) e, só então, passa a ter ideia de como todo o trabalho era realizado pelo homem.

Segundo relatos de agentes do FBI esse não era um serial killer comum, mas sim o melhor de todos que já haviam visto. O assassino estuprava, torturava, mutilava e tudo o que você pode imaginar com suas vitimas. Qual era o diferencial do monstro? Ele não era uniforme com suas escolhas, não seguia um padrão e por isso era impossível localizar o assassino. Segundo o relato de alguns agentes, o carniceiro era organizado, desorganizado, tranquilo, alterado, louco, sofreu algum trauma na infância, assassino sangue frio, apenas um coitado, matava por prazer, matava para se ajudar. Por esse motivo, trazer justiça para as vítimas era um trabalho e tanto. Simultaneamente, o filme relata a história de um inocente policial que foi condenado a pena de morte acusado de ser o carniceiro, a continuidade da trama do seu filho que continuou sofrendo o preconceito pelo o que aconteceu com seu pai e a historia de Cheryl Dempsey a única sobrevivente do assassino em série e a que mais sofreu. A menina passou 8 anos nas mãos do carniceiro.

Mas será que tudo isso é real? Muitos pedem os videos originais que possivelmente estariam na Deep Web.

Bom, na verdade na década de 90, em Poughkeepsie, existiu um serial killer na região: Kendall François, ele cometeu 8 assassinatos  e está condenado à prisão perpétua. Embora os casos sejam diferentes, talvez essa tenha sido uma das influências para o criar o filme.

The Poughkeepsie Tapes é um filme independente, de 2007, que abriu portas para o diretor John Erick Dowdle comandar Quarentena e Demônio. O filme é narrado em forma de documentário e impressiona pois durante o documentário são exibidos trechos das fitas encontradas, mostrando como o psicopata encontrava suas vítimas e o que fazia com elas. A má qualidade das imagens contribuiu para esse tom realístico que o filme proporciona.

Sugeridas para você

%d blogueiros gostam disto: